Como Funciona a Pensão Alimentícia para filho? Saiba agora tudo o que está incluso

Vai pagar pensão alimentícia para os seus filhos? Saiba como funciona a pensão alimentícia e tudo que está incluso para não cair em armadilhas.

Reproduzir vídeo

A pensão alimentícia, ou alimentos, é uma verba fixa paga, normalmente, pelo pai aos filhos. Ela serve para custear gastos com alimentação, lazer, educação, entre outras necessidades. Portanto, seu principal objetivo é garantir uma vida digna à criança.

Em suma, toda criança, quando nasce, é completamente dependente de seus pais. À medida que cresce, a dependência física passa, no entanto, a financeira se estende por muitos anos e pode permanecer até depois da maioridade.

Assim, a separação dos pais não põe fim à relação entre pais e filhos do mesmo modo que não acaba com suas necessidades. Desse modo, é necessário o pagamento de uma pensão alimentícia.

Então, por sabermos que este assunto gera muitas dúvidas, preparamos este artigo no qual iremos iremos explicar:

O que é pensão alimentícia?

A pensão alimentícia, ou alimentos, é uma obrigação prevista em lei, através da qual você fica responsável por pagar um valor fixado pelo juiz em favor de seus filhos.

Assim, por serem menores e, portanto, incapazes de gerir a própria vida de forma independente, cabe à mãe administrar os recursos. 

Por que pagar a  pensão?

Antes de tudo, é importante saber que a pensão alimentícia se encaixa no princípio da solidariedade familiar. Ou seja, a responsabilidade pela sobrevivência de um indivíduo não é apenas do Estado, mas, também, dos membros da família.

Portanto, você, enquanto pai, tem o dever de suprir as necessidades de seus filhos. Por conta disso, sempre que houver necessidade, será obrigatório o pagamento da pensão.

Quais gastos os alimentos devem cobrir?

Entenda como funciona a pensão alimentícia e o que está incluso
Pensão Alimentícia: Como funciona?

Como já foi dito, a verba dos alimentos serve para garantir que seus filhos terão uma vida digna. Assim, o dinheiro que você paga será destinado aos gastos com educação, alimentação, transporte, lazer, saúde, dentre outras necessidades básicas.

Entretanto, o que pouca gente sabe é que existe uma divisão quanto à natureza dos alimentos. Portanto, o valor que você paga pode se restringir somente à esses itens ou não, portanto, a verba alimentar é dividida entre alimentos civis e naturais.

Alimentos civis

Além de cobrir gastos com alimentação, saúde, educação, lazer, entre outros, esse tipo de pensão alimentícia serve para a manutenção do padrão de vida que seus filhos tinham antes da separação.

Ou seja, se você tem uma condição mais favorável, isso também será levado em consideração na hora de fixar os alimentos.

Alimentos naturais

Esse tipo de alimentos, por sua vez, cobre apenas os gastos essenciais para a subsistência de quem os solicita. 

No entanto, só existe uma única possibilidade de aplicação dessa pensão, que é quando a situação de necessidade for culpa da pessoa que solicita os alimentos.

Por exemplo, seu filho, maior de idade, possuía bens que o permitiam ter uma vida confortável, entretanto, por culpa única e exclusiva dele, esses bens foram dissipados.

Então, ele só terá direito a um valor mínimo de pensão, que garanta apenas o seu sustento.

Se o filho ainda não tiver nascido, ainda assim existe a obrigação pagar pensão? Por quê?

Sim, uma vez que existe uma modalidade de pensão alimentícia chamada de alimentos gravídicos.

Visto que ela é paga durante o período de gestação, a sua finalidade é cobrir gastos realizados desde a concepção até o parto. Além disso, essa pensão deve cobrir qualquer outro gasto que surja em decorrência da gravidez.

Portanto, os alimentos gravídicos servem para garantir a saúde e o bem-estar do feto e da gestante, protegendo, assim, o direito à vida do nascituro.

Se você ainda tiver alguma dúvida sobre pensão alimentícia ou precisa de um advogado, entre em contato com nossos especialistas em pensão alimentícia e direito de família agora mesmo!

VLV Advogados

Post relacionados

Deixe uma resposta

    © Copyright VLV Advogados - Todos os direitos reservados.